• clinicadehipnose

Microfisioterapia: A técnica que pode curar sua vida

A microfisioterapia é uma técnica de fisioterapia manual que consiste em identificar a causa primária de uma doença ou sintoma e estimular a auto-cura do organismo, para que o corpo reconheça o agressor (antígeno) e inicie o processo de eliminação. Essa agressão primária deixou traços (cicatrizes) que atrapalham o funcionamento das células, esses traços ficaram guardados na memória do tecido, por uma deficiência do sistema imulógico que não conseguiu eliminar o agressor.

Através de uma técnica de micropalpação, o fisioterapeuta procura no corpo onde essas memórias se instalaram, provocando sintomas locais ou a distância. Uma vez encontrados tais traços, realiza-se manualmente atos que simulem a agressão e estimulem os mecanismos de auto-correção para o restabelecer as funções do organismo, eliminando assim doenças e promovendo a saúde.

As mãos do terapeuta mobilizam e estimulam os diferentes tecidos de acordo com o tipo de agressão. Esta técnica é aplicável em todas as às idades, num objetivo terapêutico ou não.

O tratamento pode ser preventivo ou curativo, sendo realizado após uma agressão ou um evento que perturbou o indivíduo a fim de auxiliar o corpo a reagir e promover sua auto-cura.

Seus princípios de cura são semelhantes aos da homeopatia, já que ambas seguem duas leis: a cura pelo infinitesimal (o medicamento diluído, a palpação mínima) e pela similitude (o semelhante cura o semelhante).

Histórico

A técnica foi criada pelos franceses Daniel Grosjean e Patrice Bénini. Sua elaboração e formulação originaram-se na década de 70, quando iniciaram experimentos embasados na embriologia e na filogênese, aplicados na esfera muscular.

O nome MICROKINESITHERAPIE nasceu em 1982, discutido entre Daniel GROSJEAN e Dr. CARAYON, médico gastrologista, durante uma experiência com 60 pacientes sofredores de colopatia crônica. Esse estudo foi do tipo duplo cego, randomizado com 74% das atividades intestinais reabilitadas no grupo real, contra 38% no grupo placebo.

Cerca de 42 estudos científicos foram realizados, estes também incluem as missões humanitárias, que acontecem em países desfavorecidos e marcados por desastres, como o acidente nuclear em Chernobil, na Ucrânia, as crianças abandonadas na Rússia, e regiões da África ocidental.

Atualmente cerca de 5.000 microfisioterapeutas atuam na Europa, a maioria na França e na Bélgica. No Brasil, a técnica começou a ser difundida em 2003, tratando-se de um curso de extensão para médicos, fisioterapeutas e veterinários, com duração de dois anos.

Bases da Microfisioterapia

Existem quatro grandes princípios básicos :

· Auto-Cura :

Todo ser vivo é capaz de autopoiese, o que quer dizer que é capaz de fazer algo por ele mesmo e para ele mesmo usando sua capacidade de auto gestão e de auto correção, que está na base cicatrização ou da imunologia. O corpo pode reconhecer seu agressor (antígeno) e se defender (anticorpos). Quando a agressão é muito forte ou quando chega de surpresa e o corpo não conhece o agente agressor, esta capacidade de autopoiese não se manifesta e os sintomas da doença se instalam; o terapeuta faz seu trabalho para mostrar ao corpo a origem da agressão, o mecanismo de auto cura poderá então se iniciar.

· Cicatriz Patológica :

A cicatriz patológica é o vestígio deixado pelo agente agressor no corpo. Quando o corpo tenta reparar uma agressão, mas não consegue eliminar o agente agressor por uma deficiência do sistema imunológico ou porque a agressão foi muito forte, é formada uma cicatriz patológica. A cicatriz patológica deforma a célula e atrapalha sua função provavelmente gerando sintomas. O tecido onde a cicatriz patológica está instalada é caracterizado pela diminuição ou perda de vitalidade. É sobre a cicatriz patológica que o gesto de correção deve ser aplicado.

· A Correção Homeopática :

De acordo com o grande princípio da homeopatia descrito por Hahnemann (fundador da doutrina homeopática), o gesto de correção será efetuado sobre o local da porta de entrada da agressão (cicatriz patológica) e será o menor possível, de maneira infinitesimal (micro). A microfisioterapia e a homeopatia seguem as leis da cura pelo semelhante (reprodução da agressão) e do infinitesimal (medicamento diluído, palpação mínima).

· A Micropalpação :

É o gesto manual utilizado pelo terapeuta para trabalhar. O trabalho é feito sempre com as duas mãos fazendo uma ligeira aproximação destas. Não é o que se passa sob as suas mãos que interessa, mas o que se passa entre as mãos. É a sensação entre estas duas mãos que vai dizer se o ritmo vital percebido através dos tecidos é sinônimo de um bom estado de funcionamento dos tecidos, ou uma ausência do ritmo percebida como algo de denso entre as mãos, que é sinônimo da presença de uma “memória” de agressão qualquer.

Perguntas Freqüentes

· Porque a microfisioterapia pode me ajudar ?

Porque é fundada sobre um princípio natural e elementar da vida: ajudar o corpo a evacuar todos os traumas passados ou presentes que guarda na memória celular e que o impedem de funcionar bem, como pequenos grãos de areia numa mecânica. Diariamente, o nosso corpo luta contra agressões de todas as naturezas e diferentes intensidades, provindo do exterior (micróbios, toxinas, choques físicos ou emocionais) ou o interior (fraqueza de um órgão, cansaço, problemas existenciais). Geralmente, o nosso organismo autocorrige-se em silêncio sem que seja percebido. Contudo, se as infrações não forem identificadas, não reconhecidas ou muito fortes, o corpo não pode reagir de forma eficaz: a agressão deixa então uma espécie “cicatriz” nos tecidos, uma memória do acontecimento. Apesar deste vestígio, causar uma impressão de cura, o acúmulo destas memórias pode fazer com que uma dor apareça, uma doença se desenvolva, e que o corpo, se enfraqueça, sendo incapaz de lutar. Então, aparecem as dores e doenças crônicas.

A microfisioterapia vai ajudar na eliminação natural destas memórias que enfraquecem o nosso organismo. Quando liberado o obstáculo, o corpo vai então poder reencontrar as capacidades que perdeu, às vezes mesmo após anos.

· Quantas sessões são necessárias para se obter um bom resultado?

Para um sintoma dado, 3 sessões são o máximo. Normalmente, uma sessão é suficiente para se obter um bom resultado. A segunda sessão pode ser realizada dependendo de como se desenvolveu a primeira, se o terapeuta achar necessário ou se o paciente ainda apresentar queixas. As sessões deverão ser espaçadas de 3 semanas à 1 mês, para que o corpo tenha tempo de fazer seu trabalho. Se o problema for agudo, é provavelmente indicado duas sessões seguidas. Além disso, se 3 sessões não for o suficiente para reencontrar o vestígio deixado no organismo pelo acontecimento responsável pelos sintomas, é porque essa lesão está em outros campos de investigação e é por isso que a técnica está em contínua evolução. Por outro lado, é conveniente efetuar uma sessão por ano, a título preventivo, o paciente pode escolher realizar sessões a cada 6 meses para controle ou sempre que tiver sintomas agudos.

· Como o fisioterapeuta percebe essas memórias na pele ?

A sensação que o fisioterapeuta procura no corpo do paciente é a perda de ritmo vital. Qualquer atividade corporal tem seu ritmo vital dentro do organismo e também à superfície da pele. Estes ritmos vitais são percebidos pelas mãos como “micromovimentos”. O fisioterapeuta vai palpar diferentes zonas do corpo a fim de verificar se os ritmos são normais, essa palpação se faz em um movimento de aproximação das mãos. Se os ritmos estiverem ausentes, isso significa que existe uma “cicatriz”, fonte de uma disfunção na região ou a distância. É essa sensação que vai guiar o terapeuta a seguir o caminho que a agressão percorreu no corpo e consequentemente ativar sua auto cura.

· Como é realizada a sessão ?

Uma sessão de microfisioterapia dura cerca de 30 a 45 minutos. Após ter exposto as razões da consulta, o paciente, ainda vestido, se deita sobre uma maca. O fisioterapeuta vai primeiro localizar e identificar as cicatrizes que obstruem o corpo controlando os ritmos vitais. Ao detectar uma perturbação, ele vai usar palpações sutis para re-informar o organismo da presença desta cicatriz. Assim o corpo vai reencontrar a memória do choque, concentrar-se nela para eliminá-la definitivamente. O paciente permanece deitado durante a sessão e vai receber as informações dos bloqueios encontrados. Já nesse momento o corpo pode iniciar o processo de reconhecimento e eliminação do agressor, muitas vezes o paciente pode sentir cansaço e sonolência são percebidos antes que a sessão acabe.

· Existem reações após a sessão ?

O trabalho que o corpo inicia vai provocar um ligeiro cansaço durante 1 ou 2 dias. É, assim, indicado que o paciente descanse após a sessão (não fazer esforço físico desnecessário, não dirigir por um longo período de tempo…). Para que este cansaço seja mínimo, é aconselhado ingerir de 1,5 a 2 litros de água por dia nos próximos dias que seguem a sessão, para facilitar o trabalho de eliminação. É comum também os sintomas físicos como diarréia, vômito, aumento da dor, febre, crise emocional ou sentimento de raiva por um ou dois dias. Isso acontece como sinal de liberação das memórias agressoras, o paciente deve então descansar e deixar o sistem imunógico trabalhar, com o mínimo de interferência medicamentosa possível, nã esquecendo de beber muita água.

· Porque não tratar somente a zona dolorosa ?

Porque a memória traumática que causa a dor não está necessariamente no mesmo local. O corpo é uma máquina complexa com reações em cadeia que podem fazer-se em longas distãncias. É por isso que o tratamento não é localizado unicamente sobre uma região, mas sobre o conjunto do organismo, o fisioterapeuta considera o corpo na sua globalidade. Assim, dores lombares podem ter como origem as glândulas paratireóides situadas na base do pescoço: estas enviam uma mensagem química errada que provoca espasmos dos músculos da coluna a nível lombar. Por um diagnóstico micropalpatório compêndio, o fisioterapeuta poderá localizar e identificar a memória traumática que causa hoje a dor. Ajudando o corpo a eliminar esta cicatriz, vai causar não somente o alívio da dor, mas também vai ajudar o corpo a eliminar os riscos de recidivas, ou que essa memória desloque-se ou que ela cause uma degeneração.

· É uma técnica científica ?

Hoje, considera-se ciência o que foi avaliado. O microfisioterapeuta foi objeto de mais de trinta tipos de avaliações, algumas em meio hospitalar e de acordo com protocolos rigorosos (duplo cego) mostraram o efeito benéfico da técnica de 74% de pacientes que sofriam de colopatia crônica. Investigações em laboratórios foram efetuadas da mesma forma referentes aos ritmos vitais do organismo vivo. Na Europa foram realizados 42 trabalhos científicos, no Brasil as pesquisas estão sendo realizadas, pacientes estão sendo examinados através das respostas do sistema nervoso autônomo e da variabilidade cardíaca antes e depois da sessão para que os resultados sejam examinados. Na Europa são 5.000 microfisioterapeutas, lá o governo ja reconhece a microfisioterapia e paga por esse tipo de sessão, vendo-se tamanho beneficio, na qualidade de vida, diminuição de medicamentos e bem-estar das pessoas.

· Qualquer um pode praticar ?

Não. Todos podem sentir o micromovimento, no entanto é necessário um bom conhecimento da anatomia humana para se efetuar um bom tratamento. É por isso que o Centro de Formação de Microfisioterapia (França) forma apenas fisioterapeutas e médicos. Antes de ser microfisioterapeuta, o fisioterapeuta é, sobretudo um profissional de saúde que tem um diploma de Estado. Nos últimos anos foram abertas exceções para veterinários para que trabalhem com os animais também.

· Quais problemas a microfisioterapia pode aliviar ?

Muitas doenças e dores se devem a pequenas disfunções que se acumulam durante a nossa existência e terminam por enfraquecer o organismo. Essas disfunções podem ter com causa uma frustração, perdas, sentimentos de abandono, traumas que ocorreram na gestação, intoxicações e até mesmo as memórias hereditárias. A microfisioterapia ajuda o corpo a eliminar estas “cicatrizes” e pode ajudar a melhorar muitos estados de saúde. Ajuda o organismo a fazer sua reconstituição, evacuando os vestígios tanto emocionais como traumáticos. Muitos dos problemas de saúde podem encontrar uma possibilidade de melhora com a microfisioterapia.

· Como é a sessão ?

A sessão dura em média de 30 a 45 minutos. Após relatar os motivos de sua consulta, o paciente se deita sobre maca, geralmente ainda vestido. Os ritmos vitais são mais fáceis de se perceber sobre roupas leves.

A primeira parte do trabalho é uma investigação micropalpatória que nos permite reencontrar a causa responsável pelo sintoma relatado, essas são chamadas cicatrizes patológicas. A segunda parte consiste em procurar o sintoma que a cicatriz causou. Nesta ordem, o terapeuta mantém sua mão na causa (cicatriz) e investiga com a outra mão a conseqüência (o sintoma) percorrendo a linha média do corpo à procura o nível afetado. Uma vez que o nível é definido, a procura é feita na linha transversal deste nível, o tecido atingido permite reencontrar o sintoma e a sua localização no corpo que se manifesta por uma restrição entre o tecido atingido no nível e o órgão afetado.

Neste momento, é possível dar aproximadamente a data em que o acontecimento instalou-se solicitando pela palpação uma resposta do órgão a uma data definida pelo terapeuta. O organismo do doente reage a esta data e a restrição é percebida pelas mãos do terapeuta. Embora não se possa compreender totalmente este fenômeno, a fixação de datas traumáticas são informações interessantes, pois elas permitem o paciente saber a origem da desordem. A compreensão da causa da dor presente, serve também como uma prevenção.

Uma vez identificada e localizada, a cicatriz é estimulada a desencadear os processos de auto cura, de maneira quase instantânea. É um diálogo direto com a memória tecidual da pessoa, efetuada por via palpatória, sem outro apoio. O mecanismo de auto correção é obtido desta maneira, igualmente tanto nos adultos como nos bebês ou animais.

· Quantas sessões são necessárias?

Uma segunda sessão pode ser realizada dentro de algumas semanas, se a primeira não for suficiente, ou se num prazo curto de tempo o sintoma se tornar agudo. Três sessões para um mesmo sintoma é o máximo, o terapeuta deve ser honesto na orientação do paciente de que se ele não chegou a reencontrar a etiologia responsável, quer dizer que a patologia chegou em uma fase de não recuperação ou que não temos condições de chegar nesse nível. Duas ou três sessões anuais podem ser realizadas para manter um bom estado de saúde. Por último, certas patologias evolutivas podem se benefeciar de sessões regulares.

· Após a sessão

As desordens importantes, que não puderam ser eliminadas pelo corpo e que são relatadas como queixa principal na consulta, são reencontradas e despertadas, através dos toques que o terapeuta realiza no corpo. Após a sessão, o organismo começa a evacuá-las desencadeando um mecanismo de eliminação. A pessoa, bem frequentemente, vai sentir-se cansada durante 48 horas. Durante estes dois dias, dores ou emoções ligadas as cicatrizes patogênicas liberadas podem vir a se manifestar. É aconselhado que a pessoa se hidrate bem e que não faça esforços inúteis a fim de facilitar esta eliminação.

Reações

Após a sessão, como o organismo foi estimulado a eliminar os agentes agressores, poderão surgir reações físicas e/ou emocionais. Isto acontece como sinal de liberação do corpo e muitas vezes acontece de maneira sutil e imperceptível. Essas reações geralmente desaparecem após alguns dias ou semanas. A sensação de cansaço ou sonolência pode ocorrer nas primeiras 48 horas

Indicações

Muitas doenças e dores se devem a pequenas disfunções que se acumulam durante a nossa existência e terminam por enfraquecer o organismo. Já que a microfisioterapia ajuda a eliminar essas “cicatrizes do passado”, ela ajuda muitos problemas de saúde. Essa técnica é indicada para qualquer idade, desde recém nascidos até jovens ou pessoas em idade avançada, portadores ou não de deficiências. É uma técnica sem contra-indicações funciona tanto na causa primaria de um sintoma ou também como prevenção.

Apresentação

Curso de Formação em Microfisioterapia

A microfisioterapia é uma técnica efetuada somente pelas mãos, sem a ajuda de nenhum instrumento. Para fazer o curso é necessária uma habilidade específica proposta aos profissionais de saúde que são habilitados a tratar manualmente. Somente os fisioterapeutas e médicos entram nesta categoria, bem como os veterinários para os cuidados sobre os animais. O estudo faz-se a partir das lesões traumáticas que são mais fáceis de identificar e corrigir e também reproduzir experimentalmente, o que favorece muito o aprendizado da técnica. Os traumas se inscrevem-se sobretudo nos músculos, que são classificados de acordo com as suas origens embriológicas e estudados com as suas manifestações articulares, dérmicas ou viscerais. Nos módulos seguintes estudamos as lesões inscritas nos circuitos nervosos, abordadas em seqüência com correções similares. As agressões infecciosas, tóxicas e obstrutivas são estudadas nos módulos mais avançados com as lesões de toxinas e emocionais, bem como as lesões geradas, lesões existenciais ou relacionais. Um grande capítulo é dedicado as etiologias inscritas a nível dos terrenos.

Fonte: Soscuranatural

0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo